MENU

AVE MARIA

Ave-Maria, cheia de graça! O Senhor é convosco Bendita sois vós entre as mulheres e Bendito é o Fruto do vosso ventre, Jesus Santa Maria Mãe de Deus, rogai por nós os pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém

Menu Deslizante

Páginas

OLÁ!

http://img1.picmix.com/output/pic/original/1/8/8/9/3899881_962d3.gif


sábado, 31 de janeiro de 2015

O PODER QUE MARIA TEM SOBRE NÓS

Icone perpetuo socorroSão Luís Maria ensina que a Virgem Maria tem grande poder sobre nós.

São Luís Maria Grignion de Montfort, no “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem”, ensina que a Santíssima Virgem Maria recebeu de Deus um grande poder sobre nós (cf. TVD 37-38). Nossa Senhora recebeu de Deus um grande poder sobre as nossas almas, as almas de todos os eleitos, e sobre os nossos corpos. Mas, para que ela exerça esse grande poder sobre nós, sobre nossos corpos e nossas almas, há uma condição fundamental.

Nossa Senhora recebeu de Deus um grande poder sobre nós, sobre os corpos e as almas de todos os eleitos. Este poder está relacionado com aquele dado a Virgem de Nazaré sobre seu Filho Jesus Cristo, que lhe foi submisso durante toda a sua vida oculta (cf. Lc 2, 51). Por singularíssima graça, o Altíssimo deu a Virgem Maria poder sobre o seu Filho e também sobre nós, seus filhos, pois ela é nossa Mãe na ordem da graça (Constituição Dogmática Lumen Gentium, 61). Este poder concedido a Maria não foi somente sobre o nosso corpo, o que seria pouco considerando-se que em nós a alma é mais importante que o corpo. Mas, foi também concedido a ela poder sobre a nossa alma. Deus concedeu a Nossa Senhora poder sobre o nosso corpo, sobre as paixões e doenças corporais, e deu também a ela poder sobre as nossas almas, para fazê-las brilhar em santidade e fazer delas templos vivos do Espírito Santo.

PALAVRAS DO MAIOR EXORCISTA DO MUNDO SOBRE O ROSÁRIO!

Pe. Gabriele Amorth (Exocista de Roma)

Nossa Senhora, em Fátima, propõe o Rosário como antídoto ao ateísmo: o homem de hoje tem mais necessidade do que nunca de rezar e de meditar as grandes verdades reveladas.

Não é de admirar a insistência dos papas em recomendar esta oração: pensemos, por exemplo, nas doze Encíclicas sobre o Rosário de Leão XIII.

E não nos admiremos com o fato de que, nas Aparições de Lourdes e de Fátima, tenha sido dado tanto destaque a esta piedosa devoção mariana.

O Rosário, um tesouro a ser redescoberto

A história do Rosário tornou-se conhecida sobretudo depois da celebração do Ano do Rosário (de outubro de 2002 a outubro de 2003). Aqui queremos apresentar algumas reflexões que nos parecem particularmente atuais.

COMUNGAR E DEPOIS CONFESSAR?

Pergunta
Há pouco tempo, vivi uma situação na qual estava esperando para me confessar, e o padre, que tinha de celebrar a missa, nos pediu que fizéssemos um ato de contrição pelos pecados, recebêssemos a comunhão e depois nos confessássemos. Eu gostaria de saber se isso é lícito ou correto, porque é preciso estar em graça para comungar.


Resposta
Um preceito divino nos diz que não se pode comungar em estado de pecado mortal.
A Igreja, para cuidar da dignidade do sacramento da Eucaristia e da alma dos fiéis, impôs um preceito no Concílio de Trento: que ninguém comungue tendo consciência de haver cometido um pecado mortal, por mais contrito que estiver; é preciso confessar-se antes. Então, também há um preceito eclesiástico.
Mas há exceções? Sim, porque os preceitos eclesiásticos não obrigam quando existe uma dificuldade grave, séria e/ou excepcional.

MEDITANDO O PAI NOSSO

Pai_Nosso“A oração dominical (Pai-Nosso) é a mais perfeita das orações. Nela não só pedimos tudo quanto podemos desejar corretamente, mas ainda segundo a ordem em quem convém deseja-lo. De modo que esta oração, não só nos ensina a pedir, mas ordena também todos os nossos afetos”. (Santo Tomás de Aquino)

De pecadores que somos, mas perdoados em Cristo, podemos levantar os olhos para o Pai e dizer “Pai Nosso!” A “Oração perfeita” brotou do coração de Jesus quando um dos discípulos pediu-lhe que os ensinassem a rezar (Lc 11,1).

São pedidos perfeitos ao Pai. Saudamos a Deus como Pai – uma ousadia de amor – e lhe fazemos três pedidos para a Sua Glória e realização de Sua Santa Vontade, e mais quatro pedidos para nossas necessidades.

Santo Agostinho disse que o Pai-Nosso é a síntese do Evangelho: “Percorrei todas as orações que se encontram nas Escrituras, e eu não creio que possais encontrar nelas algo que não esteja incluído na Oração do Senhor.” De um lado Jesus nos ensina uma “vida nova”, por palavras, e por outro lado nos ensina a pedi-la ao Pai na oração, para a podermos viver.

É a oração dos filhos de Deus, que deve ser rezada com o coração, na intimidade com o Pai, para que se torne em nos “espirito e vida”; pois o Pai enviou aos nossos corações o Espirito do Seu Filho que clama em nós Abba, Pai. (Gl 4,6), e nos fez seus filhos adotivos em Jesus Cristo.

O QUE É MAIS IMPOSTANTE NA AMIZADE?

A amizade, cuja fonte é Deus, não se esgota nunca, dizem os santos.

Alguém disse que o amigo é algo especial que Deus inventou para cuidar da gente. A Palavra de Deus diz que “um amigo fiel é uma poderosa proteção: quem o achou, descobriu um tesouro” (Eclo 6, 14) .

Ora, tesouro é aquilo que nos enriquece. Então, o amigo é alguém que nos faz crescer, nos torna melhores.

Tive muitos amigos em toda a minha vida. Como as pessoas são diferentes! Graças a Deus, temos amigos de todo tipo: os engraçados, os intelectuais, os que nunca se animam, os que nos mimam, os originais, os que necessitam cuidados, os que são capazes de nos carregar seja qual for nosso estado de ânimo, os que sempre estão atentos, os que só mostram uma pequena parte do que são, os que sempre conseguem o que querem, os corajosos, os que sempre tem uma notícia ou uma novidade para contar, os que entram em casa a qualquer momento, os que nos fazem temer, os organizados, os “folgados” de sempre, os protetores, os de longe, os que não param de trabalhar, os que têm mania de grandeza, os que sempre estão enrolados em algo, os que são capazes de fazer qualquer coisa para evitar que passemos um mal momento, os que necessitam proteção, os brincalhões, os surpreendentes, os que nos fazem rir a qualquer preço, os que são tão ternos, os que sempre estão nos esperando… Quem busca um amigo sem defeito, fica sem amigo.

EVANGELHO DO DIA 31/01/2015

Sábado, 31 de Janeiro de 2015.

Santo do dia: São João Bosco, presbítero; Santo Eusébio, religioso
Cor litúrgica: branco

Evangelho de hoje: São Marcos 4, 35-41

Primeira leitura: Hebreus 11, 1-2.8-19
Leitura da carta aos Hebreus:

Irmãos, 1A fé é um modo de já possuir o que ainda se espera, a convicção acerca de realidades que não se veem. 2Foi a fé que valeu aos antepassados um bom testemunho. 8Foi pela fé que Abraão obedeceu à ordem de partir para uma terra que devia receber como herança, e partiu, sem saber para onde ia. 9Foi pela fé que ele residiu como estrangeiro na terra prometida, morando em tendas com Isaac e Jacó, os coerdeiros da mesma promessa. 10Pois esperava a cidade alicerçada que tem Deus mesmo por arquiteto e construtor. 11Foi pela fé também que Sara, embora estéril e já de idade avançada, se tornou capaz de ter filhos, porque considerou fidedigno o autor da promessa. 12É por isso também que de um só homem, já marcado pela morte, nasceu a multidão “comparável às estrelas do céu e inumerável como a areia das praias do mar”. 13Todos estes morreram na fé. Não receberam a realização da promessa, mas a puderam ver e saudar de longe e se declararam estrangeiros e migrantes nesta terra. 14Os que falam assim demonstram que estão buscando uma pátria, 15e se se lembrassem daquela que deixaram, até teriam tempo de voltar para lá. 16Mas agora, eles desejam uma pátria melhor, isto é, a pátria celeste. Por isto, Deus não se envergonha deles, ao ser chamado o seu Deus. Pois preparou mesmo uma cidade para eles. 17Foi pela fé que Abraão, posto à prova, ofereceu Isaac; ele, o depositário da promessa, sacrificava o seu filho único, 18do qual havia sido dito: “É em Isaac que uma descendência levará o teu nome”. 19Ele estava convencido de que Deus tem poder até de ressuscitar os mortos, e assim recuperou o filho — o que é também um símbolo.
- Palavra do Senhor
- Graças a Deus

Salmo Lc 1

— Fez surgir um poderoso Salvador na casa de Davi, seu servidor, como falara pela boca de seus santos, os profetas desde os tempos mais antigos

R: Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou!

— para salvar-nos do poder dos inimigos e da mão de todos quantos nos odeiam. Assim mostrou misericórdia a nossos pais, recordando a sua santa Aliança

R: Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou!

— E o juramento a Abraão, o nosso pai, de conceder-nos que, libertos do inimigo, a ele nós sirvamos sem temor em santidade e em justiça diante dele, enquanto perdurarem nossos dias.

R: Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou!

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 4, 35-41

- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- Deus o mundo tanto amou, que lhe deu seu próprio Filho, para que todo o que nele crer encontre vida eterna (Jo 3, 16)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos:

35Naquele dia, ao cair da tarde, Jesus disse a seus discípulos: “Vamos para a outra margem!” 36Eles despediram a multidão e levaram Jesus consigo, assim como estava na barca. Havia ainda outras barcas com ele. 37Começou a soprar uma ventania muito forte e as ondas se lançavam dentro da barca, de modo que a barca já começava a se encher. 38Jesus estava na parte de trás, dormindo sobre um travesseiro. Os discípulos o acordaram e disseram: “Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?” 39Ele se levantou e ordenou ao vento e ao mar: “Silêncio! Cala-te!” O vento cessou e houve uma grande calmaria. 40Então Jesus perguntou aos discípulos: “Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?” 41Eles sentiram um grande medo e diziam uns aos outros: “Quem é este, a quem até o vento e o mar obedecem?”

— Palavra da Salvação
— Glória a vós, Senhor

Comentário do dia por São Bonifácio (675-764)
Monge, missionário na Germânia, mártir
Carta a Cuthbert; PL 89, 765 (trad. Breviário, rev.)


«Porque sois tão medrosos?»

A Igreja é como um grande navio que navega pelo mar deste mundo. Sacudida pelas diversas ondas da adversidade nesta vida, não deve ser abandonada a si mesma, mas tem de ser governada. Na primitiva Igreja, temos o exemplo de Clemente e Cornélio e muitos outros na cidade de Roma, de Cipriano em Cartago, de Atanásio em Alexandria, os quais, sob o reinado dos imperadores pagãos, governaram a barca de Cristo – melhor, a sua diletíssima esposa, que é a Igreja – ensinando-a, defendendo-a, passando trabalhos e sofrimentos até ao derramamento do sangue.

Ao pensar nestas figuras e noutras semelhantes, estremeço de receio; o temor e o terror apoderam-se de mim e quase me submergem as trevas dos meus pecados (cf Sl 54,6); e muito me agradaria abandonar de todo o leme da Igreja, se encontrasse precedentes semelhantes nos Padres ou na Sagrada Escritura.

Mas sendo assim, e dado que a verdade pode ser contestada, mas não vencida […], a nossa alma fatigada refugia-se naquele que nos diz pela boca de Salomão: «Tem confiança no Senhor com todo o teu coração e não confies na tua prudência. Em todos os teus caminhos, pensa no Senhor e Ele dirigirá os teus passos» (Pr 3,5-6). […] Permaneçamos firmes na justiça e preparemos a nossa alma para a provação; suportemos a dilação de Deus e digamos-Lhe: «Senhor, Vós Vos tornastes o nosso refúgio de geração em geração» (Sl 89,1). Confiemos naquele que colocou sobre nós este fardo. Como o não podemos levar sozinhos, levemo-lo com o auxílio daquele que é omnipotente e nos diz: «O meu jugo é suave e a minha carga é leve» (Mt 11, 30).


Copyright© Arautos do Evangelho 2011. Todos os direitos reservados.
Divulgação autorizada, citando a fonte.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

A ARTE DE TORNAR POSSÍVEL O IMPOSSÍVEL

Em certas circunstâncias a vigência das normas claudica ao chocar-se com algo imprevisível. Chega o momento de "dar um jeitinho". Em que consiste, porém, esta forma tão singular de resolver situações complicadas?

Antonio Jakoš Ilija

Frequentemente nos deparamos, ao longo da vida, com a necessidade de resolver problemas complicados e imprevistos. E o meio de fazê-lo costuma ser personalíssimo, como é também, muitas vezes, a situação a enfrentar.

É quase infinita a variedade de soluções que cada indivíduo encontra para tais problemas, mas poderíamos classificá-las em função dos temperamentos nacionais. Assim, certos povos orientais, como os chineses e japoneses, terão um modo próprio de resolvê-los, geralmente de forma paciente e silenciosa. Um etíope ou um egípcio recorrerão a meios mais teatrais para atingir seu objetivo. E assim por diante, poderíamos mencionar saídas à la francesa, inglesa, italiana, portuguesa ou espanhola.

BENEFÍCIOS DO ROSÁRIO

Para nos animar ainda mais na prática desta devoção das grandes almas, São Luis Grignion acrescenta que o Rosário, recitado com a meditação dos Mistérios:

1) Eleva-nos insensivelmente ao conhecimento perfeito de Jesus Cristo;

2) Purifica as nossas almas do pecado;

3) Faz-nos vitoriosos contra todos os nossos inimigos;

4) Torna-nos fácil a prática das virtudes;

5) Abrasa-nos no amor de Jesus Cristo;

6) Enriquece-nos de graças e de méritos;

7) Fornece-nos com o que pagar todas as nossas dividas com Deus e com os homens;

8) Por fim, faz-nos obter de Deus toda especie de graças

Mas assegura, com o Beato Alano de la Roche, que o Rosário é  um manancial e depósito de toda espécie de bens:

“Os pecadores obtêm o perdão;
As almas sedentes saciam-se;
Os que choram encontram a alegria;
Os que são tentados, a tranquilidade;
Os pobres, socorridos;
Os religiosos, afervorados;
Os ignorantes, instruídos;
Os vivos vencem a vaidade, e as almas do purgatório encontram  alivio”.

Fonte: Salve Maria Imaculada!

NOSSA SENHORA DE LOURDES NÃO NOS ABANDONA NEM NAS PIORES SITUAÇÕES

Não é admissível supor que Nossa Senhora nos abandone, sobretudo quando os tempos estão muito complicados.
É preciso confiar de todo jeito. Quaisquer que sejam as dificuldades nesse tempo, Ela não nos abandonará.
Pelo contrário, nós seremos protegidos por Ela de modo inesperado, de modo milagroso se for preciso.
Nós devemos nos habituar a viver a vida prática com todo o espírito de Fé.
E, ao mesmo tempo, a conviver com a esperança do milagre como se fosse uma coisa que não é para de vez em quando acontecer. Porque a atmosfera de Lourdes nos ensina que o milagre é fato frequente de todos os dias.
É preciso conservar a calma motivada por essa crença no milagre.
Então é preciso conservar essa calma custe o que custar, para por esta forma nós ouvirmos a voz do Espírito Santo nas nossas almas.
Porque a voz da graça se faz ouvir na alma tranquila. Na alma agitada não se faz ouvir.
A alma tranquila pode estar sumamente aflita, mas não agitada. O exemplo arquiperfeito da alma tranquila, porém não agitada, era o Coração Sacratíssimo de Jesus durante a agonia no Horto.
Nosso Senhor tinha uma noção tão viva do que ia acontecer com Ele que, com a devida adoração, chegou a suar sangue, de pânico diante da dor que vinha.
Os médicos dizem que o fenômeno é conhecido cientificamente, que certas angústias muito grandes fazem a pessoa derramar sangue pela pele.
Tem lá uma explicação científica que eu entendi mais ou menos, mas que é admitida por todos os cientistas.
Mas Nosso Senhor não perdeu a calma. Pelo contrário, estava tranquilo, tudo quanto Ele disse era inteiramente lúcido, nenhuma vez se nota n’Ele um vaivém, mas uma coerência de atitudes verdadeiramente sobrenatural.
Segundo o Evangelho, Ele coepit pavere et taedere contristari et moestus esse (1. Marc. 14, 33. Mat. 26, 37.) – começou a ter tédio e pavor, e ficar triste, abatido, mas não agitado.
Daí veio o pedido filial, tranquilo, d’Ele ao Padre Eterno, que é parecido com o pedido que um Filho faz a uma muito boa Mãe.
Ele disse: “Pater, si fieri potest transeat a me cálix iste. – Meu Pai, se é possível afaste-se de mim este cálice” (Mat 26,11).
Primeiro com a linguagem da aflição, depois com a linguagem da força: “Mas faça-se a vossa vontade e não a minha”. Se quiserdes, livrai-me, mas se não quiserdes, matai-me. Vós e Eu ninguém separará.
Essa é ou não é a linguagem da tranquilidade?

Fonte: Lourdes e sua Aparições

NESTE NOVO ANO, NÃO SE ESQUEÇA DO SEU ANJO DA GUARDA

Sua amizade com seu anjo não depende do seu signo, do dia em que você nasceu, nem de técnicas, cores ou aromas

 

Já estamos na metade do primeiro mês do novo ano, que trouxe consigo muitos desejos e bons propósitos. "Ano novo, vida nova”, costuma-se dizer.

 

O que acontece é que, ao longo de um ano, vamos experimentando nossas fraquezas e limitações, bem como nosso pecado. Muitas vezes, nós nos sentimos frágeis e fracos; outras vezes, consideramo-nos fortes e capazes de vencer qualquer obstáculo.

 

Tudo isso é uma confirmação da complexidade que existe em nosso ser. Somos seres complexos, nosso ser e agir passam de um estado a outro.

AS MENTIRAS DO DIABO E AS FALSAS PROMESSAS DESTE MUNDO

O círculo vicioso que nos leva a estar sempre em busca de "só mais uma coisa"

Uma das grandes ilusões com que trabalhamos é a de que, se conseguirmos só mais uma coisa deste mundo, vamos ser felizes. Se tivéssemos um pouco mais de dinheiro, ou um emprego melhor, ou o iPad mais recente, ou se fôssemos casados com Fulana ou com Fulano, ou nos mudássemos para um bairro melhor... aí sim ficaríamos satisfeitos e finalmente seríamos felizes!

Mas esse “finalmente” nunca chega, nem sequer quando consigamos várias das coisas da nossa lista. Afinal, como diz o Eclesiastes, “o olho nunca se cansa de ver, nem os ouvidos de ouvir” (Ecl 1, 8). Ou, ainda, “quem ama o dinheiro nunca tem dinheiro suficiente; quem ama a riqueza nunca está satisfeito com o que ganha” (Ecl 5, 8).

Sabemos muito bem disso, mas, por algum motivo, continuamos comprando a mentira uma vez atrás da outra: “só mais uma coisa”. E gastamos dinheiro e tempo, mas o prazer que conseguimos dura vinte minutos. O mundo simplesmente não consegue nos satisfazer.

EVANGELHO DO DIA 30/01/2015

Sexta-feira, 30 de Janeiro de 2015.

Santo do dia: Beata Carmela García Moyón, mártir
Cor litúrgica: verde

Evangelho de hoje: São Marcos 4, 26-34

Primeira leitura: Hebreus 10, 32-39
Leitura da carta aos Hebreus:

Irmãos, 32lembrai-vos dos primeiros dias, quando, apenas iluminados, suportastes longas e dolorosas lutas. 33Às vezes, éreis apresentados como espetáculo, debaixo de injúrias e tribulações; outras vezes, vos tornáveis solidários dos que assim eram tratados. 34Com efeito, participastes dos sofrimentos dos prisioneiros e aceitastes com alegria o confisco dos vossos bens, na certeza de possuir uma riqueza melhor e mais durável. 35Não abandoneis, pois, a vossa coragem, que merece grande recompensa. 36De fato, precisais de perseverança para cumprir a vontade de Deus e alcançar o que ele prometeu. 37Porque ainda bem pouco tempo, e aquele que deve vir virá e não tardará. 38O meu justo viverá por causa de sua fidelidade, mas, se esmorecer, não encontrarei mais satisfação nele”. 39Nós não somos desertores, para a perdição. Somos homens da fé, para a salvação da alma.
- Palavra do Senhor
- Graças a Deus

Salmo 36 (37)

— Confia no Senhor e faze o bem, e sobre a terra habitarás em segurança. Coloca no Senhor tua alegria, e ele dará o que pedir teu coração.

R: A salvação de quem é justo vem de Deus!

— Deixa aos cuidados do Senhor o teu destino; confia nele, e com certeza ele agirá. Fará brilhar tua inocência como a luz, e o teu direito, como o sol do meio-dia.

R: A salvação de quem é justo vem de Deus!

— É o Senhor quem firma os passos dos mortais e dirige o caminhar dos que lhe agradam; mesmo se caem, não irão ficar prostrados, pois é o Senhor quem os sustenta pela mão.

R: A salvação de quem é justo vem de Deus!

— A salvação dos piedosos vem de Deus; ele os protege nos momentos de aflição. O Senhor lhes dá ajuda e os liberta, defende-os e protege-os contra os ímpios, e os guarda porque nele confiaram.

R: A salvação de quem é justo vem de Deus!

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 4, 26-34

- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, pois revelastes os mistérios do teu reino aos pequeninos, escondendo-os aos doutores (Mt 11, 25)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos:

Naquele tempo, 26Jesus disse à multidão: “O Reino de Deus é como quando alguém espalha a semente na terra. 27Ele vai dormir e acorda, noite e dia, e a semente vai germinando e crescendo, mas ele não sabe como isso acontece. 28A terra, por si mesma, produz o fruto: primeiro aparecem as folhas, depois vem a espiga e, por fim, os grãos que enchem a espiga. 29Quando as espigas estão maduras, o homem mete logo a foice, porque o tempo da colheita chegou”. 30E Jesus continuou: “Com que mais poderemos comparar o Reino de Deus? Que parábola usaremos para representá-lo? 31O Reino de Deus é como um grão de mostarda que, ao ser semeado na terra, é a menor de todas as sementes da terra. 32Quando é semeado, cresce e se torna maior do que todas as hortaliças, e estende ramos tão grandes, que os pássaros do céu podem abrigar-se à sua sombra”. 33Jesus anunciava a Palavra usando muitas parábolas como estas, conforme eles podiam compreender. 34E só lhes falava por meio de parábolas, mas, quando estava sozinho com os discípulos, explicava tudo.

— Palavra da Salvação
— Glória a vós, Senhor

Comentário do dia por São Gregório Magno (c. 540-604)
Papa, Doutor da Igreja
Homilias sobre Mateus, cap. 13


«Se o grão de trigo, lançado à terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, dá muito fruto» (Jo 12,24)

«O Reino do Céu é semelhante a um grão de mostarda que um homem tomou e semeou no seu campo. É a mais pequena de todas as sementes; mas, depois de crescer, torna-se a maior planta do horto e transforma-se numa árvore, a ponto de virem as aves do céu abrigar-se nos seus ramos.» (Mt 13,31) Esta pequena semente é, para nós, símbolo de Jesus Cristo que, colocado na terra, no jardim onde foi sepultado, de lá saiu pouco depois pela sua ressurreição, erguido como árvore de grande porte.

Podemos dizer que, quando Ele morreu, foi como uma pequena semente: foi uma semente pela humilhação da sua carne e uma grande árvore pela glorificação da sua majestade; uma semente quando apareceu aos nossos olhos inteiramente desfigurado e uma grande árvore quando ressuscitou como mais belo dos filhos dos homens (Sl 44,3).

Os ramos desta árvore misteriosa são os santos pregadores do Evangelho, cujo alcance é notado neste salmo: «O seu eco ressoou por toda a terra e a sua palavra até aos confins do mundo.» (Sl 19,5; cf Rom 10,18) Os pássaros descansam nos seus ramos quando as almas justas, que são elevadas dos atractivos da terra nas asas da santidade, encontram nas palavras desses pregadores do Evangelho a consolação de que precisam para as suas penas e as fadigas desta vida.


Copyright© Arautos do Evangelho 2011. Todos os direitos reservados.
Divulgação autorizada, citando a fonte.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

COMO DEVO ME COMPORTAR NA IGREJA

Como devo me comportar?

Igreja: lugar de oração e de cura. SILÊNCIO: Respeitem a casa de Deus. Lá no altar está o sacrário. A luzinha é o sinal da presença de Jesus, o Deus vivo. Ao entrar na Igreja, vá primeiro falar com o dono da casa, com Deus. Depois é que vai rezar para os santos de sua devoção.

A Igreja não é lugar de conversas, fofocas, risadas etc. Faça isso fora da Igreja.

Não atrapalhe, com sua conversa, as pessoas que estão em oração. Se for muito necessário, fale baixinho.

Porque ficamos em silêncio somente quando o padre está na Igreja? Hei! Isto é muito sério. E o respeito a Deus? Ele irá nos cobrar.

Desligue o celular ao entrar na Igreja. Não seja indelicado com Deus.

“ QUANDO A VIRGEM APARECE PARA SEUS FILHOS…” Parte II


Continuação das aparições na França:

1858: Lourdes
No sopé dos Pirineus, “uma senhora” apareceu para a adolescente Bernadette Soubirous, de 14 anos, numa série de visões que duraram cinco meses, entre fevereiro e julho de 1858.

Apresentando-se como a “Imaculada Conceição”, a “Senhora” chamou à penitência e à conversão dos pecadores e pediu que um santuário fosse construído sobre o depósito de lixo em que as aparições ocorriam.

Bernadette, a menina da família mais pobre da cidade, virou objeto imediato de descrédito das autoridades. Perseverante apesar da perseguição e da suspeita, Santa Bernadette aprendeu a obediência naquela que o papa Pio XII chamaria de “Escola de Maria”.

O GRANDE PROTETOR DA IGREJA

Em tempos difíceis para a Igreja, Pio IX, desejando confiá-la à especial proteção do Santo Patriarca José, declarou- o "Patrono da Igreja Católica".

Esse Sumo Pontífice sabia que não estava a levar a efeito um gesto peregrino, porque, em virtude da excelsa dignidade concedida por Deus a este seu servo fidelíssimo, "a Igreja, depois da Virgem Santíssima, esposa dele, teve sempre em grande honra e cumulou de louvores o Bem- aventurado José e, no meio das angústias, de preferência foi a ele que recorreu".

(São João Paulo II, Exortação Apostólica Redemptoris Custos) - (Revista Arautos do Evangelho, Março/2011, n. 111, p. 02)

Fonte: Arautos do Evangelho

O SANTO ROSÁRIO É MILAGROSO. DUVIDA? Parte II

Luis Dufaur
Continuação do post: O Santo Rosário é milagroso. Duvida? Parte I

Continuação da transcrição de São Luis de Montfort sobre os Milagres obtidos por meio do Santíssimo Rosário:

Em Roma havia uma fervorosa senhora cuja piedade edificava até os mais austeros monges.

Certa vez foi confessar-se com São Domingos, que lhe impôs como penitência rezar um Rosário, e depois aconselhou-a rezá-lo todos os dias de sua vida. Ela resmungou que rezava muitas outras orações, que não gostava do Rosário, e que já fazia muitas penitências.

EVANGELHO DO DIA 29/01/2015

Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2015.

Santo do dia: São Sulpício Severo, Bispo
Cor litúrgica: verde

Evangelho de hoje: São Marcos 4, 21-25

Primeira leitura: Hebreus 10, 19-25
Leitura da carta aos Hebreus:

19Sendo assim, irmãos, temos plena liberdade para entrar no Santuário, pelo sangue de Jesus. 20Ele nos abriu um caminho novo e vivo, através da cortina, quer dizer, através da sua humanidade. 21Temos um grande sacerdote constituído sobre a casa de Deus. 22Aproximemo-nos, portanto, de coração sincero e cheio de fé, com coração purificado de toda má consciência e o corpo lavado com água pura. 23Sem desânimo, continuemos a afirmar a nossa esperança, porque é fiel quem fez a promessa. 24Sejamos atentos uns aos outros, para nos incentivar à caridade e às boas obras. 25Não abandonemos as nossas assembleias, como alguns costumam fazer. Antes, procuremos animar-nos mutuamente, e tanto mais quanto vedes o dia aproximar-se.
- Palavra do Senhor
- Graças a Deus

Salmo 23 (24)

— Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra, o mundo inteiro com os seres que o povoam; porque ele a tornou firme sobre os mares, e sobre as águas a mantém inabalável.
R: É assim a geração dos que buscam a vossa face, ó Senhor, Deus de Israel
— “Quem subirá até o monte do Senhor, quem ficará em sua santa habitação?” “Quem tem mãos puras e inocente coração, quem não dirige sua mente para o crime.

R: É assim a geração dos que buscam a vossa face, ó Senhor, Deus de Israel
— Sobre este desce a bênção do Senhor e a recompensa de seu Deus e Salvador”. “É assim a geração dos que o procuram, e do Deus de Israel buscam a face.”

R: É assim a geração dos que buscam a vossa face, ó Senhor, Deus de Israel

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 4, 21-25

- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- Vossa palavra é uma luz para os meus passos e uma lâmpada luzente em meu caminho (Sl 118, 105)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos:

Naquele tempo, Jesus disse à multidão: 21“Quem é que traz uma lâmpada para colocá-la debaixo de um caixote, ou debaixo da cama? Ao contrário, não a põe num candeeiro? 22Assim, tudo o que está escondido deverá tornar-se manifesto, e tudo o que está em segredo deverá ser descoberto. 23Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça”. 24Jesus dizia ainda: “Prestai atenção no que ouvis: com a mesma medida com que medirdes, também vós sereis medidos; e vos será dado ainda mais. 25Ao que tem alguma coisa, será dado ainda mais; do que não tem, será tirado até mesmo o que ele tem”.

— Palavra da Salvação
— Glória a vós, Senhor

Comentário do dia por Beata Teresa de Calcutá (1910-1997)
Fundadora das Irmãs Missionárias da Caridade
«Something Beautiful for God»


«Com a medida que empregardes para medir é que sereis medidos»

Uma vez que Cristo é invisível, não podemos mostrar-Lhe o nosso amor; mas o nosso próximo não é invisível, por isso podemos fazer por ele aquilo que gostaríamos de fazer por Cristo, se Ele fosse visível.

Hoje em dia, o próprio Cristo está presente em todos aqueles que são dispensáveis, naqueles a quem não damos emprego, nos que deixamos de tratar, nos que têm fome, nos que não têm roupa ou habitação. Todos eles parecem inúteis aos olhos da sociedade e do Estado. Ninguém tem tempo para eles. É por isso a nós, cristãos como tu e eu, se o nosso amor for verdadeiro e digno do amor de Cristo, que cabe a tarefa de os encontrar e ajudar. Eles existem para que nós os encontremos.

Trabalhar por trabalhar é o perigo que nos ameaça de todos os lados. É então que entram em campo o respeito, o amor, a devoção, para que possamos oferecer a Cristo, e por Ele a Deus, o fruto do nosso trabalho, que nos esforçamos por fazer da melhor maneira possível.


Copyright© Arautos do Evangelho 2011. Todos os direitos reservados.
Divulgação autorizada, citando a fonte.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

MARIA O O SIMBOLISMO DA AURORA

Amanhecer na Enseada do Mar Virado, Ubatuba (SP)

Aurora quer dizer "hora áurea": hora preciosa, hora encantadora, hora de esperança e de felicidade. O simbolismo da aurora ou do nascer do dia convém, sobretudo, a Maria.

Ouvistes, sem dúvida, os amantes da bela natureza se extasiarem sobre o maravilhoso efeito do nascer do dia. Viste-os empreender longas viagens e passar noites inteiras no cimo de montanhas glaciais, a fim de se encontrarem, pela manhã, prontos a desfrutar do radioso espetáculo de uma bela aurora.

O Sol ainda não se levantou; não se distingue nem um de seus raios, e, entretanto, uma certa luz intermediária, semelhante à da alegria, já faz renascer a natureza. Há, então, entre a noite e o dia, alguns instantes de luta. Logo o horizonte se colore de mil matizes, e o lado do Oriente aparece todo em fogo. É então que acreditareis ver cada criatura retomar sua vida, sua cor, sua inteligência, como se retoma um traje de gala após a noite onde tudo é sombrio e incolor. [...]

Imagem Peregrina do Imaculado
Coração de Maria

Os esplêndidos fulgores de um meio-dia de verão não têm o encanto desta aparição resplandecente, que exerce sobre a natureza um tão grande domínio.

Digno de lástima seria aquele que permanecesse indiferente a este imponente quadro, e que, podendo ser testemunha de um tão belo espetáculo, não sentisse seu coração disposto a glorificar, reconhecido, a majestade das obras de Deus!

Mas, quanta distância há entre todas essas belezas da Terra e as belezas espirituais que Maria nos veio trazer! É Ela que, no dia de seu nascimento, foi um presságio de misericórdia que antecedeu somente de algum tempo ao Sol de Justiça, o desejado das nações. É Ela que precede a marcha desse gigante dos Céus, como para preparar nossos olhos à luz divina, que logo inundará a Terra.

À sua vista, comprazemo-nos em exclamar com o Espírito de Deus: Ó Homens, [...] alegrai-vos; a hora da esperança chegou: já a noite passou com seus terrores e seus espantos; ele se aproxima, esse belo dia prometido há tanto tempo. É Maria, verdadeira aurora da salvação, que nos aparece hoje, [...] radiosa, Ela própria, da felicidade que nos traz".

(Con. Victor-Joseph Thiébaud; Revista Arautos do Evangelho, Fevereiro/2013, n. 134, p. 50 - 51)

Fonte: Arautos do Evangelho

“QUANDO A VIRGEM APARECE PARA SEUS FILHOS…” Parte I

Das quinze aparições da Virgem Maria oficialmente confirmadas pela Santa Sé no mundo todo, um terço aconteceu na França:

A história das aparições marianas na França começa em 1208.
Até a última aparição, em 1871, Maria Santíssima apareceu para um frade espanhol no sul do território francês, para uma pastora adolescente nos Alpes, para duas freiras de clausura em Paris, para dois jovens pastores também nos Alpes, para uma humilde menina no sopé dos Pirineus e para um grupo de camponeses no trajeto do exército prussiano.

1209: A aparição do rosário
Nossa Senhora apareceu pela primeira vez na França para o fundador dos religiosos dominicanos,São Domingos de Gusmão, no ano de 1208. Foi na igreja de Prouille, no Languedoc, local considerado o “berço dos dominicanos”.

OS TRÊS REIS MAGOS–“ Pouco mas representativos “ Parte I

 
Os Reis Magos representaram toda a humanidade no Natal: poucos mas representativos.

Não há um comentador da adoração dos Magos, que não diga que era conveniente que os Magos viessem adorar a Nosso Senhor para representar os vários povos da gentilidade que desde o começo se aproximavam de seu berço.

E que era conveniente também que fossem magos, para  representar toda a sabedoria antiga  prestando homenagem a Nosso Senhor.

A palavra mago designa aqui  homem  de uma sabedoria  extraordinária, de uma  sabedoria relevante, vindos  de todos  os lados, para adorar a Nosso Senhor.

A Cristandade, servida por uma tradição venerável, em todos os tempos acreditou que eram reis. E essa tradição é de tal maneira contínua, que não deixa de ter alguma consonância com trechos da Escritura que falam de reis vindos de longe para adorar o Messias.

OS TRÊS REIS MAGOS–Pouco mas representativos “ Parte II

 

Devemos ser para Nossa Senhora o que foi Verônica para Nosso Senhor:
A situação histórica dentro da qual nos encontramos é precisamente essa: Nossa Senhora está como uma rainha sentada em seu trono, mas, pela injúria dos homens – e de que homens! – já atada com cordas e condenada a ser arrancada aos safanões de seu trono.

Apenas uns poucos são fiéis e estão dispostos a tudo para que esse crime não se consuma.

Esses fiéis, que estão lutando nessa hora, que têm a felicidade incomparável de aguentar os sofrimentos, as incertezas, as torturas espirituais dessa situação, esses fiéis representam todas as almas marianas do passado, do presente e do futuro nesse momento de tanto sofrimento para Nossa Senhora.

O SANTO ROSÁRIO É MILAGROSO. DIVIDA? Parte I

Luis Dufaur

Milagres obtidos por meio do Santíssimo Rosário, transcritos por São Luís Maria Grignion de Montfort:

Certa vez, São Domingos pregava a devoção do Rosário em Carcassone. Um herege zombava do Rosário e dos milagres, o que impedia a conversão dos hereges.

Deus permitiu, para castigá-lo, que 15.000 demônios se apossassem dele. Seus parentes o levaram a São Domingos, para livrá-lo dos demônios.

SÃO PAULO APÓSTOLO

Nem a vida nem a morte podiam separar a Paulo do amor de Cristo. Por isso, dois mil anos depois do início de sua peregrinação terrena, a monumental obra apostólica do Apóstolo das Gentes continua viva e produzindo abundantes frutos para a Igreja.

A vocação é um dom concedido liberalmente por Deus. E, por vezes, compraz-se o Senhor em chamar alguém aparentemente contrário à missão para a qual Ele o destina, a fim de manifestar com maior fulgor o poder de Sua Graça e a gratuidade do Seu chamado. Nesses casos, apesar dos aparentes paradoxos e à revelia do próprio interessado, cujas aspirações parecem entrar em choque com os desígnios Divinos, o Senhor vai preparando os caminhos, servindo-Se até dos próprios obstáculos para fazer cumprir sua Santa Vontade.

Jovem fariseu de Tarso

Nada parecia indicar que aquele jovenzinho de rosto vivo e inteligente, de nome Saulo, viesse a transformar-se num intrépido defensor de Jesus Cristo. Nascido em Tarso, na Cilícia, no seio de uma família judaica, o pequeno Saulo esteve, desde muito cedo, sujeito a duas fortes influências que pesariam grandemente na formação de seu caráter.

De um lado, as convicções religiosas que aprendera de seus pais não tardaram em fazer dele um autêntico fariseu, apegado às tradições, anelante pela chegada de um Messias vitorioso e libertador do povo eleito, então submetido ao jugo estrangeiro, e zeloso cumpridor da Lei até em suas mínimas prescrições.

EVANGELHO DO DIA 28/01/2015

Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2015.

Santo do dia: São Tomás de Aquino, presbítero e Doutor da Igreja; Beata Olímpia Bida, virgem
Cor litúrgica: branco

Evangelho de hoje: São Marcos 4, 1-20

Primeira leitura: Hebreus 10, 11-18
Leitura da carta aos Hebreus:

11Todo sacerdote se apresenta diariamente para celebrar o culto, oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, incapazes de apagar os pecados. 12Cristo, ao contrário, depois de ter oferecido um sacrifício único pelos pecados, sentou-se para sempre à direita de Deus. 13Não lhe resta mais senão esperar até que seus inimigos sejam postos debaixo de seus pés. 14De fato, com esta única oferenda, levou à perfeição definitiva os que ele santifica. 15É isto que também nos atesta o Espírito Santo, porque, depois de ter dito: 16“Eis a aliança que farei com eles, depois daqueles dias”, o Senhor declara: “Pondo as minhas leis nos seus corações e inscrevendo-as na sua mente, 17não me lembrarei mais dos seus pecados, nem das suas iniquidades”. 18Ora, onde existe o perdão, já não se faz oferenda pelo pecado.
- Palavra do Senhor
- Graças a Deus

Salmo 109 (110)

— Palavra do Senhor ao meu Senhor: “Assenta-te ao lado meu direito até que eu ponha os inimigos teus como escabelo por debaixo de teus pés!”

R: Tu és sacerdote eternamente segundo a ordem do rei Melquisedec!

— O Senhor estenderá desde Sião vosso cetro de poder, pois Ele diz: “Domina com vigor teus inimigos;

R: Tu és sacerdote eternamente segundo a ordem do rei Melquisedec!

— Tu és príncipe desde o dia em que nasceste; na glória e esplendor da santidade, como o orvalho, antes da aurora, eu te gerei!”

R: Tu és sacerdote eternamente segundo a ordem do rei Melquisedec!

— Jurou o Senhor e manterá sua palavra: “Tu és sacerdote eternamente, segundo a ordem do rei Melquisedec!”

R: Tu és sacerdote eternamente segundo a ordem do rei Melquisedec!

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 4, 1-20

- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- Semente é de Deus a palavra, Cristo é o semeador; todo aquele que o encontra, vida eterna encontrou.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos:

Naquele tempo, 1Jesus começou a ensinar de novo às margens do mar da Galileia. Uma multidão muito grande se reuniu em volta dele, de modo que Jesus entrou numa barca e se sentou, enquanto a multidão permanecia junto às margens, na praia. 2Jesus ensinava-lhes muitas coisas em parábolas. E, em seu ensinamento, dizia-lhes: 3“Escutai! O semeador saiu a semear. 4Enquanto semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho; vieram os pássaros e a comeram. 5Outra parte caiu em terreno pedregoso, onde não havia muita terra; brotou logo, porque a terra não era profunda, 6mas, quando saiu o sol, ela foi queimada; e, como não tinha raiz, secou. 7Outra parte caiu no meio dos espinhos; os espinhos cresceram, a sufocaram, e ela não deu fruto. 8Outra parte caiu em terra boa e deu fruto, que foi crescendo e aumentando, chegando a render trinta, sessenta e até cem por um”. 9E Jesus dizia: “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça”. 10Quando ficou sozinho, os que estavam com ele, junto com os Doze, perguntaram sobre as parábolas. 11Jesus lhes disse: “A vós, foi dado o mistério do Reino de Deus; para os que estão fora, tudo acontece em parábolas, 12para que olhem mas não enxerguem, escutem mas não compreendam, para que não se convertam e não sejam perdoados”. 13E lhes disse: “Vós não compreendeis esta parábola? Então, como compreendereis todas as outras parábolas? 14O semeador semeia a Palavra. 15Os que estão na beira do caminho são aqueles nos quais a Palavra foi semeada; logo que a escutam, chega Satanás e tira a Palavra que neles foi semeada. 16Do mesmo modo, os que receberam a semente em terreno pedregoso, são aqueles que ouvem a Palavra e logo a recebem com alegria, 17mas não têm raiz em si mesmos, são inconstantes; quando chega uma tribulação ou perseguição, por causa da Palavra, logo desistem. 18Outros recebem a semente entre os espinhos: são aqueles que ouvem a Palavra; 19mas quando surgem as preocupações do mundo, a ilusão da riqueza e todos os outros desejos, sufocam a Palavra, e ela não produz fruto.20Por fim, aqueles que recebem a semente em terreno bom são os que ouvem a Palavra, a recebem e dão fruto; um dá trinta, outro sessenta e outro cem por um.”

— Palavra da Salvação
— Glória a vós, Senhor

Comentário do dia por São Cesário de Arles (470-543), monge, bispo
Sermões ao povo, n.º 6; CCL 103, 32


Dar fruto e produzir a trinta, a sessenta e a cem por um

Há duas espécies de campos, irmãos: um é o campo de Deus, o outro o dos homens. Tal como tu tens os teus domínios, também Deus tem os seus. Os teus domínios são a tua terra; os de Deus são a tua alma. Seria porventura justo que cultivasses o teu terreno e deixasses em pousio o de Deus? Se pões a tua terra em cultivo mas não fazes o mesmo com a tua alma, é porque pretendes pôr a tua propriedade a render, mas não a de Deus? Achas isso justo? Porventura Deus merecerá da nossa parte tamanha negligência em relação à nossa alma, que Ele tanto ama? Se te regozijas por veres o teu terreno bem cultivado, porque não choras ao ver a tua alma em pousio? A colheita do teu terreno assegurar-te-á a sobrevivência por uns dias neste mundo, mas o cuidado da tua alma dar-te-á a vida eterna no céu. […]

Deus dignou-Se confiar-nos a nossa alma como seu domínio; portanto, por intermédio do seu auxílio ponhamos mãos à obra com todas as nossas forças para que, no momento em que visitar o seu terreno, Ele o encontre bem cultivado e em perfeita ordem: que Ele possa encontrar um pomar em vez dum silvado, vinho em vez de vinagre e trigo em vez de joio. Pois se lá encontrar tudo o que é agradável a seus olhos, dar-nos-á como recompensa as alegrias eternas, ao mesmo tempo que lançará as silvas ao fogo.


Copyright© Arautos do Evangelho 2011. Todos os direitos reservados.
Divulgação autorizada, citando a fonte.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

VIRGEM DAS LÁGRIMAS

Virgem das Lágrimas, olhai com maternal bondade a do mundo.

Enxugai as lágrimas dos sofredores, dos
esquecidos, dos desesperados, das vítimas de qualquer
violência. Obtende para todos lágrimas de contrição
e de vida  nova, que abram os corações ao dom
regenerador  do amor de Deus. Obtende para
todos lágrimas de alegria, depois de verem
a profunda ternura do vosso Coração.


(São João  Paulo II, Homilia de 6/11/1994)

Fonte: Arautos do Evangelho

SÃO FRANCISCO DE SALES

"A medida de amar a Deus consiste em amá-Lo sem medida." Este ensinamento
de São Francisco de Sales talvez possa resumir toda a sua existência, pois ele não foi senão um exemplo vivo de tudo o que ensinava.

Stress... Palavra talismânica criada aparentemente para justificar todos os males que acometem os homens de nosso tempo. Quemnão dorme bem é porque está com stress; quem fica nervoso no trabalho, está stressado. Problemas familiares? Ora, a culpa também é do stress. Até mesmo o mau gênio, como é popularmente conhecido o temperamento colérico, encontra justificativa no stress. Embora a vida agitada e insegura de hoje realmente provoque stress, este não pode ser o escudo atrás do qual se esconde quem não quer combater seus defeitos temperamentais.

Vejamos o exemplo de um homem de temperamento, o qual, com o auxílio da graça, soube dominar-se a ponto de ficar conhecido e venerado por todos como o santo da doçura e da amabilidade: São Francisco de Sales.

EVANGELHO DO DIA 27/01/2015

Terça-feira, 27 de Janeiro de 2015.

Santo do dia: Santa Ângela de Meríci, virgem; Beato Jorge Matulaitis, Bispo
Cor litúrgica: verde

Evangelho de hoje: São Marcos 3, 31-35

Primeira leitura: Hebreus 10, 1-10
Leitura da carta aos Hebreus:

Irmãos, 1a Lei possui apenas o esboço dos bens futuros e não o modelo real das coisas. Também, com os seus sacrifícios sempre iguais e sem desistência repetidos cada ano, ela é totalmente incapaz de levar à perfeição aqueles que se aproximam para oferecê-los. 2Se não fosse assim, não se teria deixado de oferecê-los, se os que prestam culto, uma vez purificados, já não tivessem nenhuma consciência dos pecados? 3Mas, ao contrário, é por meio desses sacrifícios que, anualmente, se renova a memória dos pecados, 4pois é impossível eliminar os pecados com o sangue de touros e bodes. 5Por isso, ao entrar no mundo, Cristo afirma: “Tu não quiseste vítima nem oferenda, mas formaste-me um corpo. 6Não foram do teu agrado holocaustos nem sacrifícios pelo pecado. 7Por isso eu disse: Eis que eu venho. No livro está escrito a meu respeito: Eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade”. 8Depois de dizer: “Tu não quiseste nem te agradaram vítimas, oferendas, holocaustos, sacrifícios pelo pecado” – coisas oferecidas segundo a Lei –, 9ele acrescenta: “Eu vim para fazer a tua vontade”. Com isso, suprime o primeiro sacrifício, para estabelecer o segundo. 10É graças a esta vontade que somos santificados pela oferenda do corpo de Jesus Cristo, realizada uma vez por todas.
- Palavra do Senhor
- Graças a Deus

Salmo 39 (40)

— Esperando, esperei no Senhor, e inclinando-se, ouviu o meu clamor. Canto novo ele pôs em meus lábios, um poema em louvor ao Senhor.

R: Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

— Sacrifício e oblação não quisestes, mas abristes, Senhor, meus ouvidos; não pedistes ofertas nem vítimas, holocaustos por nossos pecados. E então eu vos disse: “Eis que venho!”

R: Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

— Boas novas de vossa justiça anunciei numa grande assembleia; vós sabeis não fechei os meus lábios.

R: Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

— Proclamei toda a vossa justiça, sem retê-la no meu coração; vosso auxílio e lealdade narrei. Não calei vossa graça e verdade na presença da grande assembleia.

R: Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 3, 31-35

- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, pois revelaste os mistérios do teu reino aos pequeninos, escondendo-os aos doutores! (Mt 11, 25)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos:

Naquele tempo, 31chegaram a mãe de Jesus e seus irmãos. Eles ficaram do lado de fora e mandaram chamá-lo.32Havia uma multidão sentada ao redor dele. Então lhe disseram: “Tua mãe e teus irmãos estão lá fora à tua procura”. 33Ele respondeu: “Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?” 34E olhando para os que estavam sentados ao seu redor, disse: “Aqui estão minha mãe e meus irmãos. 35Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.
— Palavra da Salvação
— Glória a vós, Senhor


Copyright© Arautos do Evangelho 2011. Todos os direitos reservados.
Divulgação autorizada, citando a fonte.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

A VIDA OCULTA DE JESUS EM NAZARÉ

O que fez Nosso Senhor nos anos decorridos até o seu Batismo? Quais eram suas ocupações? E, sobretudo, que razão sapiencial O levou a viver entre os homens durante tantos anos sem lhes manifestar sua divindade?

Lucas Garcia Pinto

Os Evangelhos, luz perene para os fiéis até o fim dos tempos, nada relatam sobre a vida diária no lar da Sagrada Família. E poucos detalhes nos transmitem dos principais episódios da infância de Jesus, como a Apresentação, a adoração dos Reis, a fuga para o Egito ou a perda e encontro do Menino Jesus no Templo. Apenas São Lucas, após narrar esta cena, faz referência à vida oculta de Nosso Senhor, resumindo-a nesta curta frase: "Em seguida, desceu com eles a Nazaré e lhes era submisso" (Lc 2, 51).

Apresentação no Templo..jpg

O que fez Jesus nos anos decorridos até o seu Batismo no Jordão? Quais eram suas ocupações? Frequentou alguma escola? Teve amigos? Sobretudo, que razão sapiencial O levou a viver entre os homens durante tantos anos sem lhes manifestar sua divindade?

Estas e muitas outras perguntas vêm sendo suscitadas pela piedade dos fiéis, desde os primeiros anos do Cristianismo. Cabe saber se para elas há alguma resposta...

Na casa de Nazaré, o chefe era São José

Com base em diversas passagens dos Santos Evangelhos, podemos compor alguns aspectos da vida de Nosso Senhor Jesus Cristo em Nazaré.

EVANGELHO DO DIA 26/01/2015

Segunda-feira, 26 de Janeiro de 2015.

Santo do dia: São Timóteo e São Tito, Bispos; Santo Alberico de Cister, abade
Cor litúrgica: branco

Evangelho de hoje: São Lucas 10, 1-9

Primeira leitura: Timóteo 1, 1-8
Início da segunda carta de São Paulo a Timóteo:

1Paulo, Apóstolo de Jesus Cristo pelo desígnio de Deus referente à promessa de vida que temos em Cristo Jesus, 2a Timóteo, meu querido filho: Graça, misericórdia e paz da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus, nosso Senhor! 3Dou graças a Deus — a quem sirvo com a consciência pura, como aprendi dos meus antepassados — quando me lembro de ti, dia e noite, nas minhas orações. 4Lembrando-me das tuas lágrimas, sinto grande desejo de rever-te, e assim ficar cheio de alegria. 5Recordo-me da fé sincera que tens, aquela mesma fé que antes tiveram tua avó Loide e tua mãe Eunice. Sem dúvida, assim é também a tua. 6Por este motivo, exorto-te a reavivar a chama do dom de Deus que recebeste pela imposição das minhas mãos. 7Pois Deus não nos deu um espírito de timidez mas de fortaleza, de amor e sobriedade. 8Não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor nem de mim, seu prisioneiro, mas sofre comigo pelo Evangelho, fortificado pelo poder de Deus.
— Palavra do Senhor
— Graças a Deus

Salmo 95 (96)

— Cantai ao Senhor Deus um canto novo, cantai ao Senhor Deus, ó Terra inteira! Cantai e bendizei seu santo nome!

R: Anunciai entre as nações os grandes feitos do Senhor!

— Dia após dia anunciai sua salvação, manifestai a sua glória entre as nações e entre os povos do universo seus prodígios!

R: Anunciai entre as nações os grandes feitos do Senhor!

— Ó família das nações, dai ao Senhor poder e glória, dai-lhe a glória que é de vida ao seu nome!
R: Anunciai entre as nações os grandes feitos do Senhor!
— Publicai entre as nações: “Reina o Senhor!” Ele firmou o universo inabalável, e os povos ele julga com justiça.

R: Anunciai entre as nações os grandes feitos do Senhor!

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 10, 1-9

- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- O Espírito do Senhor repousa sobre mim e enviou-me a anunciar aos pobres o evangelho (Lc 4, 18)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas:

Naquele tempo, 1o Senhor escolheu outros setenta e dois discípulos e os enviou dois a dois, na sua frente, a toda cidade e lugar aonde ele próprio devia ir. 2E dizia-lhes: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Por isso, pedi ao dono da messe que mande trabalhadores para a colheita. 3Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos. 4Não leveis bolsa, nem sacola, nem sandálias, e não cumprimenteis ninguém pelo caminho! 5Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: ‘A paz esteja nesta casa!’ 6Se ali morar um amigo da paz, a vossa paz repousará sobre ele; se não, ela voltará para vós. 7Permanecei naquela mesma casa, comei e bebei do que tiverem, porque o trabalhador merece o seu salário. Não passeis de casa em casa. 8Quando entrardes numa cidade e fordes bem recebidos, comei do que vos servirem, 9curai os doentes que nela houver e dizei ao povo: ‘O Reino de Deus está próximo de vós’”.

— Palavra da Salvação
— Glória a vós, Senhor

Comentário do dia por Santo Agostinho (354-430)
Bispo de Hipona (norte de África), Doutor da Igreja
Sermão 101; PL 38, 605ss


O dono da messe

O evangelho convida-nos a procurar a messe sobre a qual o Senhor diz: «A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, portanto, ao dono da messe que mande trabalhadores para a sua messe.» Foi então que Ele enviou, para além dos doze discípulos a quem chamou apóstolos («enviados»), mais setenta e dois. E mandou-os a todos, como se depreende das suas palavras, trabalhar numa messe já preparada. E que messe era essa? Eles não iam trabalhar entre os pagãos, onde nada fora semeado. Temos de supor, pois, que iriam trabalhar entre os judeus, pois foi para isso que o dono da messe veio; com efeito, aos outros povos Ele não envia trabalhadores para a messe, mas semeadores. Deste modo, entre os judeus trabalha-se na messe, entre os outros povos semeia-se. E foi nitidamente trabalhando na messe entre os judeus que Ele escolheu os apóstolos: era o tempo da colheita, a messe estava loura depois de os profetas terem semeado entre eles. […]

Pois não é verdade que o Senhor declarou aos seus discípulos : «Não dizes vós que o Verão ainda vem longe? Pois bem, Eu vos digo: erguei os olhos e vede os campos, estão brancos para a colheita» (Jo 4,35). E ainda: «Outros trabalharam e vós aproveitais o trabalho deles» (v. 38). Abraão, Isaac, Jacob, Moisés e os profetas trabalharam, penando para semear o grão. Ao chegar, o Senhor encontra a messe madura, e envia os seus trabalhadores com a foice do evangelho.


Copyright© Arautos do Evangelho 2011. Todos os direitos reservados.
Divulgação autorizada, citando a fonte.

domingo, 25 de janeiro de 2015

EVANGELHO DO DIA 25/01/2015

Domingo, 25 de Janeiro de 2015.

Santo do dia: Conversão de São Paulo, Apóstolo; Beato Antonio Swiadek, presbítero e mártir
Cor litúrgica: verde

Evangelho de hoje: São Marcos 1, 14-20

Primeira leitura: Jonas 3, 1-5.10
Leitura da profecia de Jonas:

1A palavra do Senhor foi dirigida a Jonas, pela segunda vez: 2“Levanta-te e põe-te a caminho da grande cidade de Nínive e anuncia-lhe a mensagem que eu te vou confiar”. 3Jonas pôs-se a caminho de Nínive, conforme a ordem do Senhor. Ora, Nínive era uma cidade muito grande; eram necessários três dias para ser atravessada. 4Jonas entrou na cidade, percorrendo o caminho de um dia; pregava ao povo dizendo: “Ainda quarenta dias, e Nínive será destruída”. 5Os ninivitas acreditaram em Deus; aceitaram fazer jejum, e vestiram sacos, desde o superior ao inferior. 10Vendo Deus as suas obras de conversão e que os ninivitas se afastavam do mau caminho, compadeceu-se e suspendeu o mal que tinha ameaçado fazer-lhes, e não o fez.
- Palavra do Senhor
- Graças a Deus

Salmo 24 (25)
— Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos, e fazei-me conhecer a vossa estrada! Vossa verdade me oriente e me conduza, porque sois o Deus da minha salvação.

— Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos, vossa verdade me oriente e me conduza!

— Recordai, Senhor meu Deus, vossa ternura e a vossa compaixão que são eternas! De mim lembrai-vos, porque sois misericórdia e sois bondade sem limites, ó Senhor!
— Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos, vossa verdade me oriente e me conduza!

— O Senhor é piedade e retidão, e reconduz ao bom caminho os pecadores. Ele dirige os humildes na justiça, e aos pobres ele ensina o seu caminho.
— Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos, vossa verdade me oriente e me conduza!

Segunda leitura: Coríntios 7, 29-31
Leitura da primeira carta de São Paulo aos Coríntios:

29Eu digo, irmãos: o tempo está abreviado. Então que, doravante, os que têm mulher vivam como se não tivessem mulher; 30e os que choram, como se não chorassem, e os que estão alegres, como se não estivessem alegres; e os que fazem compras, como se não possuíssem coisa alguma; 31e os que usam do mundo, como se dele não estivessem gozando. Pois a figura deste mundo passa.
- Palavra do Senhor
- Graças a Deus

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 1, 14-20

- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- O reino do céu está perto! Convertei-vos, irmãos, é preciso! Crede todos no evangelho! (Mc 1, 15)
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos:
14Depois que João Batista foi preso, Jesus foi para a Galileia, pregando o Evangelho de Deus e dizendo: 15“O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho!” 16E, passando à beira do mar da Galileia, Jesus viu Simão e André, seu irmão, que lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores. 17Jesus lhes disse: “Segui-me e eu farei de vós pescadores de homens”. 18E eles, deixando imediatamente as redes, seguiram a Jesus. 19Caminhando mais um pouco, viu também Tiago e João, filhos de Zebedeu. Estavam na barca, consertando as redes;20e logo os chamou. Eles deixaram seu pai Zebedeu na barca com os empregados, e partiram, seguindo Jesus.
— Palavra da Salvação
— Glória a vós, Senhor

Comentário do dia por Santo Efrém (c. 306-373)
Diácono da Síria, Doutor da Igreja
Comentário ao Evangelho concordante, 4, 20; SC 121


«Vinde comigo e farei de vós pescadores de homens»

Quando vieram a Ele, eram pescadores de peixe, e tornaram-se pescadores de homens, como está dito: «Eis que agora mandarei chamar muitos pescadores e eles os pescarão; depois disso lhes enviarei muitos caçadores, e eles os caçarão em cada monte e colina e nas cavernas dos penhascos» (Jer 16,16). Se tivesse enviado sábios, dir-se-ia que tinham persuadido o povo e o tinham ganhado, ou que o tinham enganado e aprisionado. Se tivesse enviado ricos, dir-se-ia que tinham enganado o povo, alimentando-o, ou que o haviam corrompido com dinheiro e subjugado. Se tivesse enviado homens fortes, dir-se-ia que tinham atraído o povo pela força ou forçado pela violência.

Mas os apóstolos não tinham nada disso. O Senhor mostrou-o a todos através do exemplo de Simão Pedro, a quem faltou a coragem e que teve medo da voz de uma criada; que era pobre, porque não podia sequer pagar a sua quota do imposto (Mt 17,24ss): «não tenho ouro nem prata», disse ele (Act 3,6); e que era inculto, uma vez que, quando negou o Senhor, não soube encontrar um estratagema inteligente para o fazer.

Estes pescadores de peixes partiram pois pelo mundo, e alcançaram a vitória sobre os fortes, os ricos e os sábios. Que grande milagre! Fracos como eram, atraíram sem violência os fortes para a sua doutrina; pobres, ensinaram os ricos; ignorantes, fizeram discípulos entre os sábios e os prudentes. A sabedoria do mundo deu lugar a esta sabedoria que é a sabedoria das sabedorias.


Copyright© Arautos do Evangelho 2011. Todos os direitos reservados.
Divulgação autorizada, citando a fonte.

sábado, 24 de janeiro de 2015

EVANGELHO DO DIA 24/01/2015

Sábado, 24 de Janeiro de 2015.

Santo do dia: São Francisco de Sales, Bispo e Doutor da Igreja
Cor litúrgica: branco

Evangelho de hoje: São Marcos 3, 20-21

Primeira leitura: Hebreus 9, 2-3.11-14
Leitura da carta aos Hebreus:

Irmãos, 2foi construída uma primeira tenda, chamada o Santo, onde se encontravam o candelabro, a mesa e os pães da proposição. 3Atrás da segunda cortina, havia outra tenda, chamada o Santo dos Santos. 11Cristo, porém, veio como sumo sacerdote dos bens futuros. Através de uma tenda maior e mais perfeita, que não é obra de mãos humanas, isto é, que não faz parte desta criação, 12e não com o sangue de bodes e bezerros, mas com o seu próprio sangue, ele entrou no Santuário uma vez por todas, obtendo uma redenção eterna. 13De fato, se o sangue de bodes e touros, e a cinza de novilhas espalhada sobre os seres impuros os santificam e realizam a pureza ritual dos corpos, 14quanto mais o Sangue de Cristo, purificará a nossa consciência das obras mortas, para servirmos ao Deus vivo, pois, em virtude do espírito eterno, Cristo se ofereceu a si mesmo a Deus como vítima sem mancha.
- Palavra do Senhor
- Graças a Deus

Salmo 46 (47)

— Povos todos do universo, batei palmas, gritai a Deus aclamações de alegria! Porque sublime é o Senhor, o Deus Altíssimo, o soberano que domina toda a terra!

R: Por entre aclamações Deus se elevou, o Senhor subiu ao toque da trombeta!

— Por entre aclamações Deus se elevou, o Senhor, subiu ao toque da trombeta. Salmodiai ao nosso Deus ao som da harpa, salmodiai ao som da harpa ao nosso Rei!

R: Por entre aclamações Deus se elevou, o Senhor subiu ao toque da trombeta!

— Porque Deus é o grande Rei de toda a terra, ao som da harpa acompanhai os seus louvores! Deus reina sobre todas as nações, está sentado no seu trono glorioso!

R: Por entre aclamações Deus se elevou, o Senhor subiu ao toque da trombeta!

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 3, 20-21

- Aleluia, Aleluia, Aleluia!
- Abri-nos, ó Senhor, o coração, para ouvirmos a palavra de Jesus (At 16, 14)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos:

Naquele tempo, 20Jesus voltou para casa com os discípulos. E de novo se reuniu tanta gente que eles nem sequer podiam comer. 21Quando souberam disso, os parentes de Jesus saíram para agarrá-lo, porque diziam que estava fora de si.

— Palavra da Salvação
— Glória a vós, Senhor

Comentário do dia por São Tomás de Aquino (1225-1274)
Teólogo dominicano, Doutor da Igreja
Leituras para a festa do Corpo de Deus


Jesus dá-Se completamente no seu corpo e seu sangue

Os dons imensos com que o Senhor cumulou o povo cristão elevam-no a uma inestimável dignidade. Não há, e nunca houve, com efeito, nação alguma cujos deuses estivessem tão próximos de nós como o está o nosso Deus (cf Dt 4,7). O Filho unigénito de Deus, no propósito de nos tornar participantes da sua divindade, assumiu a nossa natureza e fez-Se homem para divinizar os homens. Tudo o que tomou de nós, pô-lo ao serviço da nossa salvação. Porque, para nossa reconciliação, Ele ofereceu o seu corpo a Deus Pai no altar da cruz; e verteu o seu sangue como penhor para nos resgatar da condição de escravos e nos purificar de todos os pecados pelo banho da regeneração.

Para que permaneça junto de nós a contínua lembrança de tão grande dom, deixou aos crentes o seu corpo como alimento e o seu sangue como bebida, nas espécies do pão e do vinho. Ó admirável e precioso festim que nos dá a salvação e tem a doçura em plenitude! Que poderíamos encontrar de mais precioso que esta refeição, onde o que nos é oferecido não é carne de vitelo nem de cabrito, mas Cristo, o verdadeiro Deus?


Copyright© Arautos do Evangelho 2011. Todos os direitos reservados.
Divulgação autorizada, citando a fonte

DESEJO À VOCÊ!

Que… “Chuvas de Bênçãos sejam derramadas abundantemente sobre ti e tua Casa“… Que… a Unção de DEUS seja como um bálsamo a envolver tua vida e te Ungir Completamente pela Glória de DEUS“… Que… “DEUS faça prosperar tudo aquilo que vier até tuas mãos, e que de uma semente cresçam milhares de árvores Frutíferas“… Que… “Todas as Promessas de DEUS sejam uma Coroa de Vitória e Vida para você como Prova da Fidelidade do teu DEUS, acerca de tudo o que Ele Fala e Cumpre“… Que… “Rios de águas Vivas corram dentro de tí, purificando, e levando tudo aquilo o que não é de DEUS“. Que…“A Glória de DEUS repouse sobre sua vida…Amém ...